Arquivo da tag: veterinaria

PAPO COM VET #5 – Terapia Neural

Neste Papo com Vet, conversamos com a Dra. Rosane Colares, Médica Veterinária da Pet Center Canoas. Ela é responsável por implantar na Clínica uma grande novidade: a Terapia Neural. No tratamento, cada animal é visto e tratado de forma única. Todas as partes do corpo e do ser estão relacionadas. O sistema nervoso vegetativo regula as funções dos órgãos e tecidos, integrando-os nesse todo e mantendo-o em seu máximo equilíbrio possível. Qualquer irritação nessa rede nervosa (cicatrizes, infecções, intervenções cirúrgicas, estresse emocional, etc) pode alterar o sistema neurovegetativo e assim aparecer diversos sintomas em qualquer área do corpo. Vamos conhecer mais sobre este inovador tratamento?

O que é a Terapia Neural?

A Terapia Neural faz parte da medicina integrativa. O Tratamento consiste na aplicação, através de injeção de substância (procaína) em certas áreas do corpo, o que proporciona a auto-eco-regulação do animal. A aplicação influencia o sistema nervoso vegetativo, desencadeia várias ações tanto locais quanto remotas e serve como tratamento para múltiplas doenças.

Como funciona?

Podemos comparar o Sistema Nervoso ao Sistema de Luz Elétrica de nossas casas, à condução da energia. Temos os fios, os cabos, os disjuntores, e seria toda a rede da condução nervosa, da informação do Sistema Nervoso Autônomo. Se algum dos disjuntores caiu, houve uma falha naquela condução elétrica, o que na Terapia Neural chamamos de campo interferente. Pode ser um evento emocional, uma cirurgia, um corte, uma mordida, e a condução nervosa não se dá como deveria. A partir desta interrupção pode se apresentar algum sintoma de doença ou a instalação de uma doença em si. Com a Terapia Neural, aplicando a procaína no local devido, é possível restabelecer essa condução nervosa. A luz voltaria a funcionar, porque a função do disjuntor foi restabelecida.

Em que casos a Terapia Neural é aplicada?

A Terapia Neural pode ser utilizada como tratamento em diversas patologias. No tratamento da dor, estudos indicam que a Terapia Neural oferece resultados semelhantes aos da acupuntura. A Terapia Neural também pode ser usada em casos de traumas. Os traumas não são só físicos. Muitas vezes, o trauma é emocional. Assim, conseguimos re-polarizar a célula e, com isso, o Sistema Nervosa Vegetativo interpreta a informação que estava chegando de uma forma diferente e retoma ao que era antes do trauma.

De que forma os pacientes são encaminhados para o tratamento?

A Terapia Neural é uma especialidade muito recente na Medicina Veterinária e a Acupuntura é uma ciência milenar, os pacientes geralmente chegam para o atendimento de Acupuntura. Na consulta, pela fala da história de vida do animal, a gente consegue verificar se é um caso para ser encaminhado para a Terapia Neural, com a qual terá melhores respostas. A Terapia Neural resgata memórias mais antigas no Sistema Nervoso do que a Acupuntura. Ela consegue resolver cicatrizes tóxicas em nível do córtex cerebral. A gente consegue reprogramar a célula para que ela volte a funcionar como deveria, antes de haver o problema que impede que o corpo funcione como uma engrenagem perfeita.

Então os efeitos são muito semelhantes aos da Acupuntura?

Existem algumas semelhanças com a acupuntura por conta de a Terapia Neural ser uma medicina a favor do movimento da vida. A acupuntura também restabelece o equilíbrio do corpo. Contudo, na acupuntura existe um protocolo de pontos a serem trabalhados. No caso da Terapia Neural, como cada indivíduo é um ser único, não existe um protocolo e não existe um padrão de diagnóstico. Cada animal é diferente. Não existe um protocolo de pontos de onde aplicar a procaína.

Quais os principais benefícios desse tratamento?

Nesse tratamento, é importante aguardar que o próprio corpo siga o seu caminho de melhora. Enquanto houver melhora, a gente não interfere fazendo uma nova aplicação. Caso a gente interfira, pode haver uma agressão. Porque, mesmo o anestésico diluído, em uma agulha muito fina (como a de acupuntura) pode ser um estímulo muito forte para o sistema nervoso. Na Terapia Neural, a gente deixa o corpo seguir o próprio caminho da auto-cura. Por isso, é uma medicina muito bonita, porque ela deixa que a vida siga o próprio rumo. A gente dá o estímulo, promove as condições ideais de alimentação, deixamos o animal em um local aquecido, mas a gente deixa o próprio corpo se autorregular.

A Terapia Neural pode ser usada em conjunto com outros tratamentos?

A gente prefere não utilizar a Terapia Neural em conjunto com medicações alopáticas. A gente agrega, sim, fitoterápicos chineses, acupuntura, reiki, homeopatia, fisioterapia e alimentação natural. Por vezes é feito um preparo no animal para que ele esteja com o sistema básico, com todas as células agindo de forma responsiva, fazendo a acupuntura antes da Terapia Neural. Os medicamentos alopáticos não são impeditivos para que a Terapia Neural seja feita, mas é preferível que não esteja sendo usado nenhum medicamento.

Outubro Rosa, Tempo de Informação e Prevenção!

Print O Câncer é uma doença cheia de paradoxos. Nos acompanha desde tempos antigos, porém se demonstra em nossa sociedade moderna como uma chaga avassaladora, uma palavra agourenta que está sempre ligada a dor, sofrimento e falta de perspectiva. Contudo, umas das armas mais poderosas que temos para desafiar tamanho inimigo se encontra facilmente disponível, e cada vez mais se faz presente em nossas vidas: a Informação.
Com os primeiros passos dados na década de 90, o movimento Outubro Rosa ganhou força e organização em meados de 1997, quando diversas entidades nos Estados Unidos se uniram sob uma mesma bandeira: conscientização, informação e diagnóstico precoce. As ações ganharam destaque mundial, sendo veiculadas no Brasil pela primeira vez em 2008, e permearam a Medicina Veterinária por volta de 2015, estendendo o mesmo desejo de levar informação e esperança a tutores que se veem frente a tal patologia.As neoplasias mamárias são extremamente comuns nas espécies canina e felina, sendo o tumor mais frequente em cadelas, representando 50 a 70% de incidência nesta espécie. Em gatas compreende o terceiro tipo mais comum, com uma ressalva: grande parte dos tumores mamários em felinos são malignos, com índices chegando a 80%.

Perante dados tão preocupantes, o conhecimento e entendimento da doença se faz essencial para um bom prognóstico e, antes de tratar, prevenir sempre será a melhor opção! Desta maneira, é importante salientar o papel da castração na prevenção do câncer em animais. Cadelas castradas antes do primeiro cio tem uma diminuição da incidência de 95% para neoplasias mamárias, quando comparadas com cadelas não castradas. Nas gatas, a diminuição da incidência de tumores mamários quando castradas antes do primeiro cio é de 91%. Outro dado importantíssimo: o efeito protetor da castração se esvai rapidamente para animais que não são castrados precocemente, sendo que animais castrados após os 2 anos de idade não demonstram diminuição da incidência para tumores mamários.

Tão importante quanto a prevenção, o diagnóstico precoce é capaz de aumentar as chances de cura para o paciente. Desta maneira, o exame do animal pelo seu tutor e as visitas periódicas ao veterinário se fazem essenciais, promovendo diagnóstico e posterior tratamento. Sempre examine as mamas do seu animal, de uma maneira gentil, ficando atento à presença de nódulos ou alterações de consistência. Se achar algo diferente, não hesite em levar ao veterinário! Por muitas vezes me deparei em minha prática com indicações e comentários do tipo “seria melhor não intervir, pois ela está bem”, ou “ela é idosa demais para qualquer procedimento”. Uma reflexão importante quanto a isso: deixar um câncer potencialmente maligno se desenvolver livremente, sem intervenção, JAMAIS será a melhor alternativa. Converse com seu veterinário de confiança, procure um Oncologista, fique atento! Pois estas atitudes fazem toda a diferença.

Guilherme Cirino

 

 

Guilherme Azevedo Cirino
Médico Veterinário
CRMV/RS 11799

Sequestro de córnea

Green-eyed-PersianO sequestro de córnea ou também chamado” mumificação corneana”, “córnea nigra” ou “necrose corneana”,  é um acúmulo de pigmento no estroma da córnea de felinos. As raças braquicefálicas, como Persas, são as mais acometidas. Porém cavalos e cães também podem ser afetados. A causa exata de seu aparecimento não está definida, mas se sabe que está relacionada com infecções por herpes vírus felino, falta de lubrificação corneana e por pelos tocando a córnea (distiquíase).

Esse pigmento pode variar de pequenos pontos a grandes placas negras no centro da córnea, podendo ou não estar associada à conjuntivite. Em sua maioria ocorre desconforto ocular e conjuntivite recorrente, o que leva a necessidade de remoção do sequestro. A recidiva é frequente.

A ceratectomia (remoção de segmento da córnea) é o procedimento cirúrgico indicado. Esse pigmento só deve ser removido por oftalmologistas veterinários experientes. Há necessidade de utilização do microscópio cirúrgico para que se magnifique as estruturas e se consiga uma remoção precisa do pigmento e preservação da córnea saudável.

Lidia-oftalmologista-pet-center-canoas

 

Lídia Clerot
Médica Veterinária
CRMV/RS 6864

 

Saiba mais sobre Oncologia Veterinária

family-with-petNos dias de hoje, nossos pets são membros da família, vivendo muitos anos conosco e trazendo imensas alegrias durante este período. Contudo, com o aumento da longevidade dos animais, uma doença mortal tem acontecido com mais freqüência do que gostaríamos, o Câncer.

O estigma do câncer acompanha a humanidade e nossos companheiros desde tempos imemoriais, trazendo dor e sofrimento para os pacientes acometidos, bem como para suas famílias. Durante muito tempo a doença foi considerada uma sentença de morte, onde a esperança dava lugar à desolação frente a um prognóstico desfavorável. Porém, isso está mudando.

A medicina teve uma evolução exponencial no último século, e a Oncologia é a área onde se concentram os maiores esforços e pesquisas na atualidade, trazendo tratamentos inovadores que melhoram a qualidade de vida de pacientes humanos, bem como de nossos peludos. Nesta perspectiva, o Oncologista se faz profissional essencial dentro da clínica de animais de companhia, promovendo conhecimento e atendimento altamente qualificado para lidar com uma doença tão complexa como o câncer. Como o câncer se origina das células que um dia foram normais dentro do nosso organismo, virtualmente qualquer sistema orgânico pode ser afetado, e a doença pode se manifestar de inúmeras maneiras, demonstrando os mais variados sintomas. Uma das apresentações mais comuns em cães é a neoplasia mamária, afetando fêmeas de meia idade e idosas, onde o tutor poderá perceber a presença de nódulos nas mamas.

Uma neoplasia maligna é caracterizada pela proliferação descontrolada de células alteradas, que sofreram mutações pelos mais diversos fatores (exposição a agentes carcinogênicos, fatores ambientais, predisposição genética) e, devido a este processo, não são mais reguladas pelo organismo. As células saudáveis apresentam e respondem a diversos mecanismos que controlam sua divisão e, quando estes falham, temos o afloramento do câncer. Através destas mutações a neoplasia também pode enganar o sistema imunológico e se espalhar pelo organismo, dando origem as metástases.

Citando nosso exemplo anterior de neoplasia mamária, tanto em mulheres quanto em cadelas, se a doença for descoberta precocemente e o tratamento adequado for instaurado, temos grandes chances de atingir a cura da paciente afetada! Estes tratamentos incluem a cirurgia, modalidade terapêutica muito utilizada em Oncologia, mas também podem ser necessários tratamentos adjuvantes como a quimioterapia. Esta modalidade terapêutica vem sendo muito utilizada em ambas as espécies, promovendo sequência ao tratamento cirúrgico e melhores chances de aumento na sobrevida. Um dado importante, a quimioterapia em animais de companhia costuma demonstrar poucos efeitos colaterais e, quando apresenta, são reversíveis e de fácil tratamento, diferindo dos tratamentos em seres humanos que são mais agressivos com efeitos mais deletérios ao paciente. Se houver a indicação de quimioterapia, não se assuste! A tendência é que seu companheiro reaja muito bem.

Finalizando, caso seu peludo tenha o diagnóstico de uma neoplasia maligna, procure o Oncologista! Ele é o profissional mais capacitado para avaliar o caso e promover o mais importante para todos os pacientes, independente da doença: Qualidade de Vida!

Guilherme Cirino

 

 

Guilherme Azevedo Cirino
Médico Veterinário
CRMV/RS 11799

Parece milagre, mas é acupuntura veterinária

O centro de radiografia próprio da Pet Center Canoas possibilita diagnósticos mais rápidos e tratamento mais eficaz.
O centro de radiografia próprio da Pet Center Canoas possibilita diagnósticos mais rápidos e tratamento mais eficaz.

A acupuntura é uma técnica milenar consagrada na China e difundida em todo o mundo. Ela é um dos tratamentos mais antigos utilizados para tratar humanos e animais, sendo uma especialidade reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Sim, animais. Pouca gente sabe, mas ao mesmo tempo em que se desenvolvia para o tratamento de humanos a acupuntura evoluía no tratamento de cavalos e outros animais. Ela é amplamente utilizada hoje em cães e gatos como tratamento complementar. Além de ser indolor ela dificilmente tem contraindicações.

O tratamento consiste em reestabelecer o equilíbrio energético do animal com a colocação de finíssimas agulhas e/ou com a utilização de moxa (Artemisia Vulgaris) em pontos estratégicos do animal e com a utilização de ervas por via oral. Além de reestabelecer o equilíbrio energético também são liberadas substâncias que ajudam o sistema imunológico e endócrino a manter a qualidade de vida do animal.

Muitas são as doenças que podem ser tratadas pela acupuntura. Podemos tratar problemas de pele, paralisias, distúrbios comportamentais, cistite, dentre outras. Mas sem dúvidas a doença mais conhecida, e que apresenta os resultados mais surpreendentes no tratamento, é a cinomose. Animais que ficaram meses sem andar por sequelas da doença voltam a correr e ter uma vida normal com algumas sessões.

O tratamento é individualizado, ou seja, cada animal é tratado de maneira única e exclusiva, com agulhas descartáveis, e não há necessidade de ser sedado em nenhum momento. Como a acupuntura estimula o próprio organismo a se curar, os resultados e o número de sessões necessárias podem variar de acordo com o estado de saúde do paciente.

Mais rápido ou mais lento, o importante é que todos os pacientes alcançam ganhos na melhoria da qualidade de vida com o alívio de dores e do desconforto causado por diferentes doenças. E como a Pet Center Canoas possui espaço próprio de radiografia, o diagnóstico e tratamento são muito mais objetivos, efetivos e rápidos.

Converse com seu veterinário sobre isso, e se precisar, estou à disposição.

 


Rosane Lopes Colares
Médica Veterinária
CRMV/RS 7082