Arquivo da tag: oftalmologia

Quando devo levar meu pet ao Oftalmologista Veterinário?

Todos sabemos que animais de estimação requerem cuidados com saúde, algumas raças possuem tendências a mais enfermidades do que outras, assim como a problemas oculares.

Seria interessante, assim como fazemos vacinas e um check up anual, cuidarmos da saúde ocular do nosso pet, a fim de prevenir ou evitar certas situações que muitas vezes não possuem reversão.

Cães braquicefálicos tais como os Pug, Buldog Francês, Buldog Inglês, Boston , Shihtzu, entre outros, são acometidos por vários problemas oculares mesmo jovens. Devido a sua anatomia, onde os olhos se encontram em uma órbita rasa, e pela própria tendência racial, são mais propensos a algumas oftalmopatias dentre elas: distiquíases, ceratite pigmentar, ceratite de exposição ou úlceras de córnea.

Sharpei e Chow Chow apresentam mais comumente o glaucoma e defeitos pálpebras como o entrópio e a triquíase.

Gatos persas ou birmaneses são acometidos por úlceras corneais e seqüestro corneano.

É evidente que qualquer animal doméstico, mesmo os sem raça definida podem apresentar essas condições.

Os sinais mais evidentes que servem de alerta aos proprietários são: hiperemia de conjuntiva (olho vermelho), secreção ocular abundante (pus), epífora (lacrimejamento), prurido ocular (coceira), blefarospasmo (piscando muito), associado ou não a apatia e inapetência (tristeza e falta de apetite).

Portanto, ao mínimo sinal de desconforto o tutor deve levar seu pet ao Veterinário mais próximo ou se possível a um especialista, pois algumas lesões se tornam graves em poucas horas se tornando impossível preservar o globo ocular e/ou a visão.

Lidia-oftalmologista-pet-center-canoas

 

Lídia Clerot
Médica Veterinária
CRMV/RS 6864

Sequestro de córnea

Green-eyed-PersianO sequestro de córnea ou também chamado” mumificação corneana”, “córnea nigra” ou “necrose corneana”,  é um acúmulo de pigmento no estroma da córnea de felinos. As raças braquicefálicas, como Persas, são as mais acometidas. Porém cavalos e cães também podem ser afetados. A causa exata de seu aparecimento não está definida, mas se sabe que está relacionada com infecções por herpes vírus felino, falta de lubrificação corneana e por pelos tocando a córnea (distiquíase).

Esse pigmento pode variar de pequenos pontos a grandes placas negras no centro da córnea, podendo ou não estar associada à conjuntivite. Em sua maioria ocorre desconforto ocular e conjuntivite recorrente, o que leva a necessidade de remoção do sequestro. A recidiva é frequente.

A ceratectomia (remoção de segmento da córnea) é o procedimento cirúrgico indicado. Esse pigmento só deve ser removido por oftalmologistas veterinários experientes. Há necessidade de utilização do microscópio cirúrgico para que se magnifique as estruturas e se consiga uma remoção precisa do pigmento e preservação da córnea saudável.

Lidia-oftalmologista-pet-center-canoas

 

Lídia Clerot
Médica Veterinária
CRMV/RS 6864