Arquivo da categoria: Papo com Vet

PAPO COM VET #03 – Pulgas e Carrapatos com Dra. Aline Soares

Mitos sobre pulgas e carrapatos não faltam! Além disso, eles são tão comuns que muitas pessoas pensam que não há problemas em seus filhinhos peludos conviver com eles.
No Papo com Vet de hoje, a Médica Veterinária Aline Soares (CRMV/RS 15097) vai nos esclarecer sobre como evitar estas pragas e passar informações super importantes sobre os ectoparasitas, aqueles que se instalam na pele do hospedeiro.
Leia o texto e compartilhe. Assim mais tutores estarão informados e poderão atender melhor os seus pets.  Afinal, eles fazem parte da família!


1 – O que devo fazer quando vejo pulgas no meu pet?
Dra. Aline: Ao notar que seu pet está com pulgas é importante fazer o controle, tanto ambiental, quanto do animal em relação a esses ectoparasitos. É fundamental procurar ajuda especializada para saber qual a melhor opção a ser usada conforme a espécie e estação do ano, além do controle ambiental. Em caso de infestações severas é aconselhável o uso de empresa especializada para fazer uma dedetização. Devem ser tomadas outras medidas de prevenção pois as pulgas também transmitem doenças como hemoparasitoses e verminoses, sendo para este último a utilização de vermífugos também é recomendada.

2 – E carrapatos? Posso eu mesmo tirá-los?
Dra. Aline:
Ao perceber que tem um carrapatinho em seu pet, assim como no controle de pulgas, é importante fazer um controle no pet, controle ambiental e reconhecer se isso é uma infestação ou se foi apenas um caso isolado. É interessante proceder a remoção imediata desse ectoparasito em função da transmissão de doenças, como a babesiose. Se você puder levá-lo ao pet shop, no próprio veterinário, é o mais indicado. Mas se você precisar fazer isso em casa, é aconselhável que se use luvas, pinça (que não seja para uso pessoal) e que você pressione a pinça bem na região da cabeça do carrapato para que as presas não fiquem fixadas na pele do animal e o mesmo se rompa. Procedendo a remoção do carrapato, colocar ele embebido no álcool, deixar alguns minutos e depois é aconselhável fazer o descarte em vaso sanitário.

3 – Além de desconfortos como coceira, existe algum risco do meu peludo pegar alguma doença?
Dra. Aline: Sim. Existem algumas doenças bem importantes que podem ser transmitidas por pulgas e carrapatos. O Dipylidium caninum é um verme transmitido por pulgas e parasita o trato gastrintestinal dos pets. O diagnóstico dessa doença é feito pelo exame de fezes, e facilmente tratado com vermífugos específicos, indicado pelo seu Médico Veterinário. Temos também a micoplasmose, é uma doença mais grave que afeta tanto cães quanto gatos. Esse hemoparasito causa anemia profunda podendo levar à morte do animalzinho.

Falando de carrapatos, nós temos alguns hemoprotozoários transmitidos por carrapatos, destacando-se principalmente a Rangelia e a Babesia no estado do Rio Grande do Sul. Esses hemoparasitos infectam o sangue, causando destruição das hemácias levando a um quadro anêmico grave, que muitas vezes levam os animaizinhos à morte quando não diagnosticado precocemente.

Então, ao perceber que seu pet está apresentando anorexia, fraqueza, gengivas pálidas, é importante levar imediatamente ao veterinário. Não tratar pulgas e carrapatos somente como agentes causadores de coceira e desconforto, mas como agentes causadores de doenças importantes que possuem alto risco de óbito, inclusive.

4 – Como meu filhinho pode pegar pulgas e carrapatos? E em qual período do ano o contágio é maior?
Dra. Aline:
O animal pode pegar pulgas e carrapatos de outros animais parasitados e do ambiente no qual estão a maioria deles. Geralmente as pessoas pensam: “mas eu mantenho meu pet no apartamento”. Só de passear pela calçada, ou o apartamento vizinho não faz controle no animal (lembrando que em torno de 95% do total de ectoparasitos estão no ambiente) podendo a infestação se propagar para o seu apartamento, se entrar em contato com um outro pet infestado, ir ao parque. Se o seu animal não está com a proteção adequada, pode sim fazer com que ele adquira esses ectoparasitos.

A proliferação acentuada de pulgas e carrapatos ocorre em épocas de clima quentes e úmidos (primavera e verão). Aqui na região sul, temos um período de latência grande durante o inverno e esses parasitos acabam por não eclodir ovos novos. Na época de primavera e verão eles podem eclodir ovos em até um período de até 10 dias, então, são ciclos muito rápidos.

5 – Em que locais pulgas e carrapatos se reproduzem?
Dra. Aline: 
Pulgas e carrapatos se reproduzem no ambiente, a preferência sempre é por locais úmidos, quentes e escuros. Podem se alojar em frestas e em buracos. A própria terra pode ser um local onde eles se instalem e reproduzam. Quando você realizar alguma dedetização é muito importante observar todos esses detalhes e não esquecer de aplicar nas frestas, nos tijolos, nas divisões da cerâmica.

6 – Como podemos evitar infestações?
Dra. Aline: 
Para evitar as infestações deve-se manter os antiparasitários em dia nos pets e proceder a dedetização em épocas antecedentes da primavera/verão. Dedetizar no período de latência e quando tem menor número de ectoparasitos, aumenta a eficácia e reduz significativamente a proliferação nos períodos de reprodução. Como pode levar 10 dias para eclodir novos ovos, é um período muito curto de novos parasitos infestando o ambiente e a reinfestação é muito rápida. É importante fazer o manejo correto do ambiente. As pessoas costumam não levar isso em consideração, mas o ambiente é a parte mais importante no controle. E, claro, tem que manter o seu pet protegido, pois ele vai passear, vai ter contato com locais onde passaram animais de rua e animais infestados.

7 – Como saber qual a melhor solução para o meu filhinho (coleira, comprimido, pipeta)?
Dra. Aline: 
Hoje, nós temos muitos produtos disponíveis no mercado com princípios ativos diferentes e várias apresentações: coleiras, comprimidos, pipetas tópicas. É importante que você leve o seu pet até o veterinário e receba uma melhor orientação. Existem alguns produtos que necessitam que o parasito pique o animal para que ele ingira o princípio ativo e acabe morrendo, também tem alguns que só basta o contato com pelo. Alguns animais possuem DAPE, por exemplo, que é a Dermatite Alérgica por Picada de Ectoparasitos. Nesse caso, o animal não pode ser picado porque ele pode desenvolver alergia, então, precisa ser um produto que mate o parasito antes de picar o seu pet. Por isso, é importante passar por uma avaliação para saber qual a melhor opção de tratamento.

8 – Para encerrar nossa conversa, que informação é fundamental para todos os tutores quando falamos de pulgas e carrapatos?
Dra. Aline: 
É importante ressaltar que pulgas e carrapatos não são somente parasitos que vão estar ali, que vão causar coceira e desconforto. Eles são vetores de doenças graves que podem levar os seus filhinhos à óbito, se não tratados precocemente. Então, o controle é de suma importância e nós precisamos trabalhar na prevenção. Não deixe que a infestação ocorra. Não deixe aparecer o primeiro carrapato ou pulga. A prevenção é sempre a melhor opção! Se você viu algo, faça algo!

Até o próximo Papo com Vet!
Redação Pet Center Canoas.

PAPO COM VET 02 – Dra. Lara Kley Orso, Médica Veterinária Especialista em Odontologia

Nesta segunda edição do Papo com Vet aproveitamos o dia nacional do riso para falar com quem mais entende dele, que na Pet Center Canoas é a Dra. Lara Kley Orso, Médica Veterinária Especialista em Odontologia (CRMV-RS 15061). Neste bate papo levamos algumas das perguntas mais frequentes dos tutores sobre a saúde bucal dos pets. Confere abaixo e deixe seu comentário:

1- Os pets também têm dentista?
Dra. Lara: Sim. Assim como nós, os nossos pets também devem ir ao dentista! A saúde dos pets começa pela boca. Por isso, é importante a prevenção de doenças orais.

2- Tem que escovar os dentes?
Dra. Lara: É importante que a escovação dental seja feita diariamente e que se torne uma rotina! É fundamental que, após a escovação, o pet receba um reforço positivo, para aceitar a prática.

3- Quando está com mau hálito, o que fazer?
Dra. Lara: Sempre que o pet estiver com mau hálito, deve-se procurar um dentista veterinário, pois pode ser sinal de que algum problema esteja iniciando na cavidade oral. Existem bifinhos, brinquedinhos, produtos que podem ser usados para ajudar no combate ao cálculo dentário (tártaro) e ao mau hálito, porém eles servem apenas como coadjuvantes. Nenhum deles substitui a escovação dental diária e também não isenta a responsabilidade de levar o pet ao veterinário.

4- Pode ser necessário realizar algum procedimento? Qual?
Dra. Lara: Apenas o dentista veterinário avaliando poderá decidir o que deverá ser feito. Muitas vezes, é necessária a realização do tratamento periodontal para conseguir restabelecer a saúde bucal dos pets. Para esse procedimento, é indispensável anestesia geral, com um anestesista qualificado.

5- Eles trocam de dentes como a gente?
Dra. Lara: Sim! Eles possuem a dentição “de leite” e a permanente, assim como nós. Os cães, em torno dos 7 meses de idade, já estão concluindo a troca dentária e os gatos, aos 6 meses.

6- Quando é o ideal a primeira consulta?
Dra. Lara: O ideal é que a primeira consulta seja realizada no momento da adoção do pet. Assim, o dentista veterinário pode esclarecer dúvidas quanto à erupção dos dentes, trocas dentárias, além de orientar como realizar a escovação dental. É importante que os tutores acostumem os animais, ainda quando filhotes, a terem a cavidade oral manipulada, para que seja possível desenvolver um hábito de escovação diária. Devemos trabalhar sempre com a prevenção das doenças orais.

7- Precisa de radiografia para o atendimento?
Dra. Lara: É importante que, durante o tratamento periodontal, sejam realizadas radiografias intraorais. Isso porque, muitas vezes, a doença não está apenas na coroa do dente (parte que conseguimos enxergar na boca), mas se estende às raízes dentárias. Sendo assim, só poderemos observar isso através das radiografias.

8- O que você sugere para manter a saúde bucal do meu pet?
Dra. Lara: É muito importante uma alimentação adequada, escovação dental diária com pasta específica pra cães e gatos, além de adjuvantes como brinquedos e petiscos específicos para a manutenção da saúde oral. Deve-se também realizar consultas periódicas com um dentista veterinário, que pode ser semestral ou anual, dependendo da necessidade individual de cada paciente.

9 – Profilaxia é limpeza dos dentes?
Dra. Lara: Profilaxia está relacionada com medidas preventivas para a preservação da saúde, ou seja, são ações que podem prevenir problemas e doenças em todas as áreas. No meu caso, usamos o termo profilaxia dentária, que consiste na prevenção através da higiene bucal. O procedimento mais comum é a remoção do cálculo dentário (tártaro). Quando outros procedimentos são necessários, como extrações dentárias, alisamento radicular ou flaps, o termo correto é tratamento periodontal.

Fica aqui então estas dicas e esperamos ter ajudado você e seu pet com estas informações. Lembre-se que nada substitui a orientação do médico veterinário, por isso, se você viu algo, faça algo! Sua atitude pode salvar muitas vidas.

Abraço!

Redação Pet Center Canoas