Hemograma: um grande aliado na investigação veterinária

Paula---Hemogramas
Paula Boeira Bassi, veterinária especialista no LAC Pet Center Canoas.

Atualmente, com a evolução das tecnologias na área veterinária, os animais de companhia têm acessos a exames de diagnósticos tão eficazes que, até bem pouco tempo, eram restritos aos seres humanos.

E como todo tratamento eficaz depende de um diagnóstico preciso, entram em cena os serviços de apoio, como o laboratório veterinário e diagnóstico por imagem. No laboratório, utilizamos os serviços que vão dos exames hematológicos até análises mais aprofundadas, respeitando sempre a diversidade das espécies, raças e porte dos animais.

Entre todos, o hemograma é o exame de sangue mais solicitado na rotina veterinária e tem como objetivo avaliar as células sanguíneas do paciente. Este exame é requerido pelo veterinário para auxílio no diagnóstico e controle da evolução de alguma doença. Este exame é muito importante, pois ele é o único exame que detecta a anemia no animal, além disso é usado como um exame de triagem pois ele auxilia na conduta do veterinário que avalia tanto a gravidade quanto a evolução de alguma doença durante algum tratamento.

Para melhor entendimento, o hemograma é considerado um painel de testes que examina as diferentes células do sangue, sendo:
  • Contagem de hemácias: são as células vermelhas, responsáveis pelo transporte de oxigênio no organismo. A diminuição ou aumento indicam estados anormais. Diminuição indica anemia e aumento indica policitemia.
  • Hemoglobina: Mede a quantidade de hemoglobina em um volume de sangue.
  • Hematócrito: Mede o volume percentual de hemácias em um volume de sangue.
  • Contagem de leucócitos: São as células brancas, que fazem parte do sistema de defesa do organismo. Mede-se o número total de leucócitos em um volume de sangue. Aumentos e diminuições podem ter significado.
  • Contagem diferencial de leucócitos: Determina a proporção de cada tipo de leucócitos. Há cinco tipos diferentes: neutrófilos, linfócitos, monócitos, eosinófilos e basófilos.
  • Contagem de plaquetas: São produzidos na medula óssea, importantes no mecanismo de coagulação sanguínea. A contagem determina o número de plaquetas em um volume de sangue. Aumentos e diminuições podem indicar anormalidades com sangramento excessivo ou risco de coágulos.
Quando o exame é solicitado pelo Veterinário?

O veterinário pode solicitar o exame em várias situações:

  • Antes de alguma cirurgia ou procedimento, para avaliar se os valores estão dentro dos parâmetros fisiológicos. A cirurgia é realizada com maior segurança.
  • Avaliar se o organismo do animal está reagindo bem a um tratamento medicamentoso.
  • Caracterizar o quadro clínico do animal após algum tipo de trauma (atropelamento, briga com outros animais), pois analisa a quantidade de sangue que o animal pode ter perdido ou até detectar uma possível hemorragia.
  • O exame detecta os tipos de leucócitos, sendo de grande valia para auxiliar no diagnóstico de outras condições, como uma alergia ou asma.
  • Nos animais saudáveis, o hemograma pode ser pedido apenas como um exame de rotina.
Existe contraindicação para realizar o exame?

Não existem contraindicações expressas para realizar o hemograma. No entanto, o veterinário pode dizer se o seu pet está apto a fazer o teste ou não.

Preparo do animal

O ideal é coletar o sangue do animal em jejum alimentar. Deve-se evitar o esforço físico do animal. Também devemos evitar o estresse do bichinho, pois pode levar a alterações nos resultados.

Quanto tempo demora para coletar o hemograma?

A coleta para o hemograma leva alguns minutos para ser realizado.

Periodicidade do exame

Não há uma periodicidade específica. Tudo dependerá das orientações do veterinário responsável e da presença ou ausência de doenças que devem ser acompanhadas pelo exame.

Existem riscos para realizar a coleta do hemograma?

São extremamente raros. No máximo, pode haver um hematoma no local em que o sangue foi retirado. Em alguns casos, a veia pode ficar inchada após a amostra de sangue ser recolhida (flebite), mas isso pode ser revertido fazendo uma compressa várias vezes ao dia. Existem alguns animais que podem ter problemas de coagulação e que podem sofrer com um sangramento contínuo após a coleta.

Resultados

Somente o médico veterinário poderá avaliar e interpretar os resultados, pois é ele que vai levar em conta os diversos fatores individuais de cada animal. Isto significa que um valor dentro ou fora do normal pode ter significados diferentes. A prenhez, por exemplo, pode alterar os valores sanguíneos fora da referência normal, mas que são parâmetros fisiológicos esperados para esta condição.

O que pode afetar o resultado do exame?
  • Medicamentos que podem baixar os níveis de plaquetas.
  • Animal estressado pode apresentar contagem elevada de glóbulos brancos.
  • Animal agitado ou esforço físico recente (caminhada prolongada), podem interferir nas contagens de hemácias, hemoglobina e hematócrito.

 

Aqui, o Laboratório de Análises Clínicas (LAC) da Pet Center Canoas realiza os principais exames relacionados as patologias clínicas veterinárias de cães e gatos. Dentre os principais exames e diagnósticos laboratoriais realizados na rotina, podemos destacar hematologia, bioquímica sérica, urinálise, avaliação de líquidos cavitários, coproparasitológico, avaliação citológica, entre outros.

Tudo isso existe para que se possa chegar num diagnóstico mais rápido e poder tratar seu pet o quanto antes, aumentando todas as chances de vida principalmente em casos de urgência. Desconfiando de algo, não deixe de procurar um veterinário.

Espero ter ajudado. Com carinho,

Paula Bassi

 

Paula Boeira Bassi
Médica Veterinária
CRMV/RS 13320

26 comentários sobre “Hemograma: um grande aliado na investigação veterinária

  1. Meu cachorrinhos de 5 meses foi envenenado na casa de uma vizinha, com veneno que colocou para matar ratos, levei o cachorro ao veterinario e aparentimente ficou bem, mas, com 8 dias ele começou a se tacar nas coisas, como se não tivesse enchegando, os olhos ficando grandes e querendo vomitar e não conseguia e morreu antes de chegar na clinica. Será se ainda foi por causa do veneno?

    1. Olá Deusilene. Sentimos pela sua perda. As intoxicações causam alterações em todo organismo e podem levar muitos dias para serem eliminadas completamente. Porém, não se pode afirmar que esta seja a causa dos sintomas no seu cachorrinho. Aconselhamos sempre conversar com o veterinário que fez o atendimento para esclarecer esta dúvida. Ele é o profissional indicado para investigar e indicar os devidos tratamentos.

  2. Quanto tempo demora pra se analisar o sangue? Internei minha cachorrinha as iam dar 17hrs ,levaram ela pro soro, não sei como foi a noite dela,a primeira fora de casa,fizeram o exame entre este horário,fui buscar ela as 19hrs mas liberaram depois das 20,pouco tempo em questão de menos de a hr ela morreu, até hoje estou desconsolada,fui ler no exame e deu que entregaram a análise as 17:33 do outro dia,e no mesmo dia o Dr passou o diagnóstico dá coleta do xixi ,ou seja,quase 24hrs pro exame sair 😭 demora tanto assim mesmo?

    1. Olá Raquel! O Hemograma, é um procedimento relativamente rápido, dura em media de 30 minutos a 1 hora e 30 min para ser realizado, considerando que o laboratório pare toda sua rotina para realizar apenas este exame. Porém o que acontece é demanda de hemogramas de outros pacientes, sendo que a grande maioria são de pacientes críticos também, como acontece aqui na Pet Center. E alem disso é preciso saber qual é o horário de funcionamento do laboratório, pois a maioria funciona até as 18h. Cada exame tem seu prazo de entrega, o hemograma é estipulado pela maioria dos laboratórios veterinários sendo 24 horas o tempo máximo para liberação do resultado, pois deve-se considerar o funcionamento da rotina laboratorial como um todo (repetição de parâmetros alterados, demanda de outros exames, complexidade dos exames, controles de qualidade dos equipamentos que são feitos constantemente entre outros). Aqui na Pet Center Canoas por termos laboratório próprio conseguimos, de maneira geral, agilizar bastante os exames. Espero ter ajudado.

    1. A Dirofilariose é um verme que fica na circulação sanguínea, e dependendo da quantidade microfilárias (vermes microscópicos) presentes, é possível ser captado durante a coleta do sangue e ser detectado pelo hemograma durante avaliação das células pelo microscópio. É um achado, essa possibilidade é menor quando comparado a testes mais específicos e mais sensíveis para essa doença.

      Na Pet Center Canoas temos dois tipos de exames para detecção do antígeno.

  3. Olá tudo bem? Eu tenho uma cadelinha d 5 meses ela é d raça não definida, e d 4 dias pra cá ela ficou molinha,teve febre, vômito e falta de apetite, levei a no veterinário e ele passou baytril por 2dias,mas ela continua sem querer se alimentar e fraca, mas os dentinhos dela estão caindo, pode ser por isso esses sintomas?

    1. Só pelos sinais clínicos que descreveu posso listar inúmeras causas e doenças. Não é possível fechar diagnostico somente com base nessas informações. O veterinário ao avaliar o quadro clinico do seu animal, será ele a melhor pessoa para dirigir ao diagnostico e tratamento eficaz.

  4. Boa noite.
    Eu tinha uma Blue Heller de 1 ano de idade e na sexta a tarde notei que ela apresentava sinal de alguma anormalidade pois ela estava mais quieta, levei ela no veterinário que à atende no sábado pela manha, ele fez uma analise clinica e nada estava alterado, sem febre tudo normal, então ele solicitou um hemograma, o qual me relatou que tudo estava normal e a única coisa que tinha é que o nível de plaquetas estava um pouco abaixo do normal, o mesmo me informou que se no domingo ela estivesse do mesmo jeito era para eu levar ela para tomar medicação. No sábado a tarde estava dando um pedaço de pão para ela quando do nada ela qual e ficou paralisada com as patas esticadas por uns 30 seg. voltando ao norma em seguida.
    Infelizmente não deu tempo durante a madrugada acordei e ela já estava paralisada e chorando quase em estado de choque, babando não muito, transparente sem espuma, batimentos acelerados e por vez ofegante, ela não conseguiu chegar até o veterinário e morreu. Ela evoluiu muito rápido eu deitei por volta de 1 da manha ela estava da mesma forma durante que durante o dia, ate comeu 1 pedaço de carne, acordei era umas 05 da manhã e ela ja estava da forma relatada.
    *Ela já teve a doença do carrapato duas vezes e foi feito o tratamento a ultima deve ter sido a 2 meses atrás.
    *Ela não apresentou sintomas como diarreia e vômitos.
    * A cerca de 1 mês atrás uma vira lata que dividia quintal com ela morreu do mesmo jeito, ela tinha 9 anos, porém não fui muito afundo pois ela apresentava aquelas hérnias ou tumor muito grande nas mamas, então pensei que aquilo havia se agravado e levado-a a morte.
    Minha duvida são as seguinte:

    1 Ela poderia ter sido picada por algum animal peçonhento tipo cobra ou escorpião e no hemograma não ser constatado qualquer alteração?Meu quintal tem concreto e possui gramado, não existe nda acumulado nele
    2 Pode ser caso também de envenenamento? Este também pode ser detectado no hemograma?
    3 Existe algum tipo de doença que mata o animal nesta velocidade em um prazo aproximado de 36hs?
    4 Na terça ou quarta eu havia dado um pouco de sopão destes instantâneas, feito com verdura abobrinha, cenoura, batata e carne, isso pode ter intoxicado ela?

    Se puder me ajudar pois estou com muitas duvidas e possuo outra cadelinha que vem para minha casa a cada 15 dias e estou com medo de ser alguma doença grave.

    Muito Obrigado

    1. Olá Anderson! Primeiramente sinto muito pela sua perda.
      Segundo que relatou, e pela forma rápida como ocorreu não devemos descartar as doenças transmitidas por carrapatos pois estes são as principais causas de trombocitopenia (baixa de plaquetas), a “paralisia do carrapato” como é conhecida popularmente (toxinas presentes na saliva do carrapato causam paralisia), intoxicação e outras doenças de sistema neurológico.
      -Picadas por animais peçonhentos levam a outros padrões de alterações clínicas, porém pode-se levar em conta também, pois varia local da picada, tipo de animal ou inseto peçonhento, concentração de toxina inoculada. Normalmente o local da picada fica inchado e aparente.
      -Casos de intoxicação por ser agudo, muitas vezes o hemograma não se detecta.
      -Alimentos caseiros podem fazer mal ao animal, porém de forma grave, aguda e com sinais neurológicos é pouco provável

    1. Olá Manuela! Hemograma não diagnostica leptospirose. O hemograma é um exame complementar e somente dará um norte para o veterinário em relação ao tratamento e possível prognóstico clínico. O tempo do exame varia de acordo com a rotina do laboratório.

  5. Olá! Minha cachorra tem 4 anos e está talvez 1 kg acima do que deveria estar (tem 14 kg e deveria ter 13kg). Realizo consultas anuais de rotina e o último hemograma dela (realizado em um laboratório diferente do que costumo levar) apresentou leucócitos abaixo dos valores de referência (deu 5.200 e o valor de referência é entre 8.000 e 16.000) e o eritrograma indicou Lipemia +–. Isto pode ser indicativo de alguma doença? Ou resultado da alimentação? A veterinária somente sugeriu eu mudar a ração dela (embora eu desse uma ração super premium) e realizar novo hemograma dentro de 3 meses, mas eu fiquei bastante preocupada. Os valores dos demais parâmetros ficaram dentro da normalidade.

    1. OLá Lidia! Presença de lipemia no sangue pode ser devido a falta de jejum, problemas relacionados a obsesidade ou até problemas hormonais. Além disso pode ter relação com alimentação sim, não só pela ração, mas pelos petiscos, ou outros alimentos impróprios oferecidos para ela. Nesse caso os leucócitos não sofrem interferência direta pela lipemia, interessante pesquisar sobre essa leucopenia. Muito importante atentar para o tempo de jejum. Se estiver preocupada ou sua cachorra apresentar outros problemas, pode repetir o exame dela em um mês.

  6. Olá Boa tarde,
    Tenho uma golden que teve ninhada recentemente, todos os seus filhotes nasceram saudaveis, o período de gestação foi super tranquila, eles nasceram no tempo certo e o período em que esteve comigo tudo ocorreu dentro das conformidades, vermifugação, amamentação, alimentação… pois bem , um dos filhotes que foi vendido segundo a sua nova tutora foi detectado com doença de carrapato (babesíose), o filhote esta com 55 dias, eu achei estranho, os filhotes aparentemente
    não apresentam nenhum sintomas, se alimentam super bem, coloração da gengiva,lingua bem corado, brincam o tempo todo e a mãe não tem carrapato fazemos controle tudo certinho com bravecto e no ambiente em que ela vive é limpo constatemente e nunca foi encontrado nenhum carrapato. Mesmo assim levei a mãe e os filhotes que ainda estão comigo para veterinário de minha confiança para realizar o exame. O resultado deu negativo, Graças a Deus! A veterinária que cuida de minhas cachorras, me disse que pode ser que ao avaliar o exame da filhote a veterinária ou o laboartório não levou em considerção a idade dela que seria de 2 meses, e avaliou o resultado baseando os valores sanguíneos com a taxa representaiva de cachorro adulto . Pode isso acontecer? Os valores sanguíneos dos cachorros podem ser diferentes de acordo com a idade?

    1. Olá Luana, para diagnostico de babesiose são necessários exames sorólogicos e/ou moleculares (PCR). Hemograma não diagnostica babesiose, somente se na leitura da lâmina for observado o protozoário intra eritrocitário (independe se é filhote). As referências devem ser sempre repeitadas, filhotes e adultos tem diferença.

  7. Boa tarde,
    Os valores de referencia de um hemograma canino é diferente de acordo com idade do cachorro?
    Filhote de 2 meses e um cachorro com 1 ano de idade

  8. Como veterinária fiz uma cirurgia sem o exame de sangue em um cão q chegou no consultório com hemorragia. Não tendo tempo pra exame de hemoclitos pois imaginei já estar em níveis muito baixo. Só pensei em salvar o animal. Como posso me resguardar dessa atitude

  9. ola, minha cachorra teve 3 filhotes, morreram 2 e ficou so um. ha um mes ela morreu pois estava com aquela doença do carrapato e insuficiência renal cronica. é possível ela ter passado a doença para o filhote? ele hj tem uns 3 meses. obg

      1. olá, obrigada por ter me respondido, então aparentemente ele está otimo, ja dei a 1 vacina e vou dar a segunda, tbm dei remedio de verme, ele come super bem e brinca muito, nao para. vc acha melhor pedir um exame de sangue? obrg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *