Arquivo mensais:agosto 2015

A automedicação pode matar seu pet

Automedicação pode matarSempre queremos fazer o melhor para nossos peludos, porém atitudes bem intencionadas, quando realizadas sem o devido conhecimento, podem ter consequências catastróficas. Você conhece os riscos da automedicação para os pets?

Cães e gatos têm particularidades metabólicas distintas, e estas diferenças variam também conforme a raça. Em virtude disso, além dos bichanos terem reações diferentes aos medicamentos, com relação aos humanos, as respostas aos remédios variam muito entre cada raça, e é por isso que os antibióticos, por exemplo, têm suas doses ajustadas para cada espécie de animal.

Infelizmente, temos a tendência de achar que os nossos remédios terão sempre o mesmo efeito para nossos pets, o que é um grande e perigoso engano. Animais de companhia têm organismos muito mais sensíveis aos analgésicos e anti-inflamatórios que utilizamos rotineiramente em casa, para dores de cabeça ou febre, e que, em muitos casos, também são automedicados. Você já tomou algum remédio sem consultar o médico? Se não tomou, provavelmente conhece alguém que toma.

Extrapolamos esta nossa conduta de automedicação, tratando em casa com medicações humanas nossos pets quando eles apresentam algum sintoma, e nesse comportamento mora o perigo. Para exemplificar, um comprimido de paracetamol 750mg é o suficiente para causar óbito em um gato, pois os felinos apresentam uma deficiência nas enzimas que metabolizam este medicamento, aumentando seu potencial tóxico e levando o paciente à morte. Este é um remédio extremamente comum, que todos temos em casa, porém a maioria das pessoas não conhece seus perigos quando ele é administrado em um bichano.

Então, quando seu peludo apresentar qualquer sintoma, não o medique! Leve ao médico veterinário de sua confiança o mais breve possível, pois ele é o profissional habilitado para realizar o diagnóstico e prescrever o tratamento mais indicado para o seu pet. Ele saberá quais medicações podem ser utilizadas, quais devem ser evitadas e terá o conhecimento das particularidades de cada espécie.

Seu bichinho merece o melhor e ele ficará eternamente grato a você!

Guilherme Cirino

Guilherme Azevedo Cirino
Médico Veterinário
CRMV/RS 11799